quinta-feira, maio 18, 2006


Atividades do Comitê

Reunião do Grupo de Estudos do Comitê
Tema: "Cidadania, Voto Nulo e Política Além do Voto"
Local: Rua Torres Homem 790 - Vila Isabel (CCS-RJ)
Data/Horário: 20/05 (sábado) às 15:00h

Reunião Geral do Comitê(aberta e pública a todos os participantes)
Local: Rua Torres Homem 790 - Vila Isabel (CCS-RJ)
Data/Horário: 27/05 (sábado) às 15:00h

terça-feira, maio 16, 2006

“Votar em governantes, antes de ser instrumento democrático, é a negação da própria democracia”.



Votar em autoridades que nos “representem”, ao contrário de ser uma tarefa democrática, representa a negação da autoridade dos indivíduos concretos, e das populações locais que são destituídas de seu poder, de suas escolhas, em prol de uma autoridade que não faz parte de suas vidas e tem sua vida particular muito longe da grande maioria da população – que é, na verdade, desgraçada por condições de vida sub-humanas (graças a esse sistema de governantes, ao capitalismo, etc.).

Seria um engano acreditar que o voto nulo é simplesmente um mecanismo de protesto por melhores governantes. Isto seria utilizar o voto nulo para pedir mais desgraça. Com o mandato de Lula fica evidente que, tanto a esquerda quanto a direita institucionais, estão condenadas a corrupção, ao abuso de poder, a não resolver os conflitos e problemas da sociedade. Isso se deve a um problema muito maior do que a simples mudança de políticos. É, incialmente, um problema de todo sistema político.

Observar que o voto em candidatos não pode alterar a situação de degradação do sistema econômico, cultural, filosófico, em suma, paradigmático atual, é o primeiro passo para uma crítica mais efetiva de nossa sociedade hierárquica, desigual e injusta. A questão central, portanto, não deve ser se “50% dos votos anulam a eleição trazendo novos candidatos”, mas sim mostrar a ilegitimidade da autoridade dos governantes (presidentes, governadores, etc.) que, querendo ou não, serão corrompidos em seus mandatos. Devemos trocar o poder de governantes que não conhecem as nossas vidas por uma política que vise a autonomia dos indivíduos e bairros, com suas especificidades, trazendo o poder de volta ao povo efetivamente. Apenas desse modo poderemos falar em democracia, que como a etimologia da palavra nos diz, vem de: “demo – povo” “cracia – governo”, ou seja, o governo do povo.

Propõe-se, dessa maneira, uma política afirmativa através do voto nulo e não simples forma reativa de protesto. Buscamos o fim do capitalismo e criar uma organização descentralizada de poder, dando-o a quem lhe é devido: aos bairros, aos trabalhadores, as pessoas e criando, através do voto direto nas questões locais, a verdadeira democracia, a democracia direta!

Fonte Original

sexta-feira, maio 12, 2006

Apresentação

Esta é a home page oficial do Comitê Pró-Voto Nulo do Rio de Janeiro. Muito mais do que simplesmente propagar o VOTO NULO, desejamos abrir o debate para outras formas de política, que se oponham a democracia representativa. O Comitê Pró-Voto Nulo do Rio de Janeiro, EXISTE na vida real, não é uma mera campanha de INTERNET. Os membros do comitê reúnem-se quinzenalmente, para decidirem sobre os rumos do grupo, a partir de princípios pautados na horizontalidade de seus integrantes, onde não reproduzimos as práticas encontradas em formas verticais de organizações políticas.

Para maiores contatos fora desta instância virtual, registrem seus comentários sobre o comitê, que eles serão respondidos se assim for desejado.

Alguns textos serão publicados coletivamente em nome do COMITÊ, outros serão escritos independente do consenso coletivo e pode expressar ou não a opinião de todos os seus membros.

Agradecemos a todos e nos vemos nas ruas!